11 junho, 2010

É verdade que a luz de lâmpadas fluorescentes causa manchas na pele


Manchas na pele

terça-feira, 20 de abril de 2010 | 20:56 Extraído de http://veja.abril.com.br/blog/estetica-saude/tag/manchas/

lampada-rosto1

A luz que enxergamos é chamada de luz visível. Ela pode ser emitida pelo sol, pela TV, por lâmpadas, pelo computador, e assim por diante. Ao nos atingir, uma parte é refletida e uma parte é absorvida pela pele. Outro tipo de luz é a ultravioleta, que nem deveria ser chamada de luz e sim de radiação ultravioleta, porque ela é invisível ao olho humano. Quase todos os estudos científicos sobre danos à pele se referem à ação da radiação ultravioleta. É ela a principal responsável pelo envelhecimento precoce da pele, incluindo aí rugas e manchas. É também associada ao aparecimento de câncer de pele.

Mas há alguns anos viu-se que a luz visível também prejudica pessoas de pele hiper-sensível. Assim, portadores de lúpus ou de melasma devem se proteger também contra a luz visível. O efeito sobre a pele da luz visível emitida por lâmpadas é menor do que o efeito da luz solar, mas também conta.

Por isso, mesmo que fiquem em ambientes internos iluminados, pessoas com pele hiper-sensível devem se proteger. Portadores de melasma e lúpus, por exemplo, devem usar bloqueador solar que os proteja contra a luz visível. O filtro ideal para esse caso contém na sua composição ingredientes conhecidos como físicos (ou inorgânicos), como o óxido de zinco e o dióxido de titânio. Eles dão uma textura branca ou opaca à pele, mas são eficazes. O problema da cor pode ser contornado usando filtro com tom de base. Filtros compostos apenas por ingredientes químicos (ou orgânicos) têm textura melhor, mas não protegem contra a luz visível.

Por Lucia Mandel

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja bem vinda e bem vindo !