31 julho, 2012

FDA aprova o Benlysta (belimumab) para tratamento do lúpus eritematoso ativo

O Benlysta (belimumab) é o primeiro medicamento para tratamento do lúpus aprovado pelo Food and Drug Administration (FDA) em 56 anos.  Ele está aprovado para pacientes com lúpus eritematoso ativo, com auto-anticorpos positivos, que estejam recebendo terapia padrão, incluindo corticosteroides, antimaláricos, imunossupressores e anti-inflamatórios não hormonais.
O Benlysta (belimumab) é injetado diretamente na veia (infusão intravenosa) e é o primeiro inibidor do estimulador do linfócito B (BLyS). O BLyS assegura a sobrevivência do linfócito B, a célula branca do sangue que produz anticorpos. O Benlysta pode reduzir o número de linfócitos B em pessoas com lúpus.
Dois estudos clínicos envolvendo 1.684 pacientes com lúpus demonstraram a segurança e a efetividade do Benlysta. Os pacientes receberam a medicação associada à terapia padrão ou placebo associado à terapia padrão. Foram excluídos do estudo aqueles que já haviam recebido terapias que tinham como alvo os linfócitos B ou ciclofosfamida intravenosa, e também aqueles pacientes com lúpus ativo envolvendo os rins (nefrite lúpica) ou o sistema nervoso central.
Os pacientes que receberam Benlysta associado à terapia padrão apresentaram menos atividade da doença quando comparados aos que receberam Benlysta com placebo ou as terapias convencionais para o lúpus. Os resultados sugerem, mas não estabelecem definitivamente, que alguns pacientes tiveram recidivas menos graves e alguns reduziram a dose de corticoide recebida.
Pacientes afro-americanos ou com descendência africana que participaram do estudo parecem não responder ao Benlysta, mas a pesquisa não teve dados suficientes para estabelecer uma conclusão definitiva a este respeito. Estudos adicionais são necessários.
Alguns riscos são atribuídos ao uso de Benlysta como infecções graves, náuseas, diarréia e febre. Os pacientes podem apresentar reações durante a infusão do medicamento e o pré-tratamento com anti-histamínicos deve ser considerado.
O Benlysta é um anticorpo monoclonal humano co-desenvolvido pela Human Genome Sciences e GlaxoSmithKline em colaboração com a Cambridge Antibody Technology.
Fonte: FDA
Extraído de : http://www.news.med.br/p/pharma-news/175077/fda+aprova+o+benlysta+belimumab+para+tratamento+do+lupus+eritematoso+ativo.htm

23 julho, 2012

VEJA ALTO, OUÇA COLORIDO !

Faça uma lista de grandes amigos
Quem você mais via há dez anos atrás
Quantos você ainda vê todo dia
Quantos você já não encontra mais...
Faça uma lista dos sonhos que tinha
Quantos você desistiu de sonhar!
Quantos amores jurados pra sempre
Quantos você conseguiu preservar...
Onde você ainda se reconhece
Na foto passada ou no espelho de agora?
Hoje é do jeito que achou que seria
Quantos amigos você jogou fora?
Quantos mistérios que você sondava
Quantos você conseguiu entender?
Quantos segredos que você guardava
Hoje são bobos ninguém quer saber?
Quantas mentiras você condenava?
Quantas você teve que cometer?
Quantos defeitos sanados com o tempo
Eram o melhor que havia em você?
Quantas canções que você não cantava
Hoje assobia pra sobreviver?
Quantas pessoas que você amava
Hoje acredita que amam você?

17 julho, 2012

NOVIDADES NO BLOG

Olá minhas queridas e meus queridos!


Quero avisar que o blog deu uma mudada, até porque as estações também mudaram. Agora, no topo da página, vocês conferem a guia SEU ESPAÇO, onde podem compartilhar relatos, histórias, dúvidas, angústias, que possa fazer parte da nosso blog. Outra mudança foi a ativação dos comentários (desculpem, eu não sabia que estava desativado pessoal!). Durante esses dias, notei que muitas pessoas se informam pouco sobre o Lúpus e espero que o MVL possa continuar contribuindo com todas/os que chegarem até esse blog.

Beijos e obrigado pela visita!

Ps: nada será publicado 
sem permissão da leitora/leitor.

10 julho, 2012

NINGUÉM É CULPADO

Astrid Fontenelle luta contra o lúpus, enquanto grava programa


A apresentandora Astrid Fontenelle Foto: Michel Filho / Agência O Globo


A apresentandora Astrid Fontenelle Michel Filho / Agência O Globo
RIO - Astrid Fontenelle completa hoje 51 anos. A apresentadora do "Chegadas e partidas", no GNT, admite que nunca quis tanto envelhecer mais um ano e pretende celebrar ao lado da família e amigos mais íntimos. Depois de descobrir, há cerca de dois meses, que tem lúpus, uma doença autoimune, ela crê que a nova idade vai representar também uma virada astral. Desde o diagnóstico, Astrid precisou modificar a sua rotina. Parou de dirigir e tem sempre uma babá por perto para ajudar a cuidar do filho, Gabriel, de 3 anos. O garoto, muito esperto, já entendeu que a "mamãe está dodói" e avisa às visitas que é importante deixar, na entrada da casa, o sapato usado para ir à rua, assim como limpar bem as mãos. Fora alguns ajustes, a apresentadora não permite que a doença tome conta de sua vida. Tanto que fez questão de voltar ao trabalho e já grava a nova temporada da atração, que começa no dia 4 de maio, às 22h. O programa — recém-premiado como o melhor de 2011 pela Associação Paulista de Críticos de Arte — faz parte de uma série de estreias do canal, que se inicia nesta semana. Parabéns, Astrid.

Leia mais sobre esse assunto aqui.

COMENTÁRIO NOSSO DE CADA DIA:

Assisti a uma entrevista da Astrid à Marília Gabriela no canal GNT  e ouvi ela comentando que sempre achou que ia morrer de câncer....e agora ela recebe um diagnóstico de que tem Lúpus,uma doença aonde ela mesmo se auto destrói e que ela está trabalhando isso em terapia.

Fiquei pensando nisso...Já ouvi falar que o Lúpus é o cúmulo da autsabotagem...porque é vc  lutando contra vc mesmo.Mas não se pode levar isso ao pé da letra.Não é intensionalmente que isso ocorre.Não foi você que quis assim.A culpa por se ter Lúpus não é do portador..nem de ninguém...uma série de fatores corroboram para que o processo seja desencadeado.Lógico que a hipótese de somatização que é quando o corpo expressa através de sintomas  físicos sofrimentos psiquicos é possível sim...mas não se pode achar culpados...Porque simplesmente não não há culpados.

O estilo de vida,a genética,a alimentação,doenças anteriores...enfim ha uma gama de fatores que podem contribuir para o aparecimento do Lúpus...mas  não é possível isolalas e achar que isto ou aquilo foi o fator determinante do sintoma.