15 outubro, 2010

ANTIMALÁRICOS: HIDROXICLOROQUINA E CLOROQUINA


Os antimaláricos aumentam o pH dos compartimentos intracelulares ácidos, entretanto, o mecanismo de ação no tratamento de doenças reumáticas não está ainda esclarecido.


Uso em doenças reumáticas
Lúpus discóide
A hidroxicloroquina e a cloroquina foram utilizadas durante décadas no tratamento do lúpus discóide e são consideradas efetivas.

Lúpus eritematoso sistêmico
A hidroxicloroquina é amplamente utilizada no tratamento de LES.

Artrite reumatóide
A hidroxicloroquina pode ser utilizada para o tratamento de AR, mas de forma geral é considerada menos eficaz que outras drogas anti-reumáticas modificadoras da doença (DMARDs) como o metotrexato. A hidroxicloroquina pode ser útil em combinação com outros DMARDs.


Início e monitoração da terapia

Antes do início do tratamento com antimaláricos deve ser realizado um exame oftalmológico de base. Para a monitoração o exame oftalmológico deve ser realizado a cada 12 meses para detectar toxicidade retiniana.



Precauções especiais

O medicamentos antimaláricos não devem ser utilizados em pessoas com enfermidades da retina de qualquer causa.



Complicações
De maneira geral os antimaláricos constituem os DMARDs com menor incidência de efeitos colaterais.


Podem aparecer: exantema (erupção na pele) alterações gastrointestinais como náuseas e vômitos, dor de cabeça, insônia e fraqueza muscular em membros inferiores que é bastante rara.


Toxicidade ocular

Toxicidade da retina: lesão retiniana irreversível com terapia a longo prazo, mais frequente com cloroquina que com hidroxicloroquina, entretanto por meio de exames de rotina e dosagem adequada a lesão na retina deve ser rara. 



Pode existir do músculo extraocular causando diplopia (visão dupla).


Os medicamentos antimaláricos são comumente utilizados para tratar lúpus discóide e parecem ser uma terapia coadjuvante útil no LES.


Na artrite reumatóide são utilizados em casos leves ou usados em combinação com outros DMARDs.


Embora sejam bem tolerados os antimaláricos requerem monitoração regular de toxicidade retiniana.


Não tome nenhum medicamento por conta própria, consulte seu médico para esclarecer suas dúvidas, somente ele poderá determinar o que é conveniente para seu caso em específico.
Extraído de:http://www.reumatoguia.com.br/interna.php?cat=44&id=295&menu=44

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja bem vinda e bem vindo !